EDUCAÇÃO EM DESTAQUE

Postado em March 10, 2008  • 

AURELINO DE ARAÚJO LEAL

SECRETÁRIO GERAL DO ESTADO

1906 A 1906

 

 

 

 

Nasceu em 04.08.1877, em Rio das Contas, Bahia, e falecido em 08.06.1924, no Rio de Janeiro, vítima de um aneurisma. Filho do Coronel e fazendeiro baiano Maximino de Araújo Leal e de Joana de Freitas. Advogado, jornalista e político. Fez seus estudos primários na cidade de Canavieiras, na Bahia, numa escola pública, dirigida pelo professor Bernardino Lírio; e os secundários no colégio do prof. Manuel Florencio, na cidade de Salvador, Bahia. Bacharel em direito pela Faculdade da Bahia, em 1894. Promotor público da comarca de Amargosa. Em 1899 ingressou na política, eleito deputado estadual. Organizou a reforma penitenciária do Estado. Nomeado Diretor da penitenciária de Salvador. Nomeado pelo Governador da Bahia Dr. José Marcelino de Souza para a função de Chefe de polícia e secretário geral do estado da Bahia em 1906. Em 1907, deixando a administração pública, voltou à advocacia e ao jornalismo político.
Em 1912 transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde exerceu a advocacia. Nomeado em 1914, pelo presidente Wenceslau Braz, para o cargo de Chefe de polícia do Distrito Federal, onde permaneceu até 1918. Em 1920, assumiu o exercício do lugar de 1.º Representante do Ministério Público, junto ao Tribunal de Contas Federal. Ministro do Tribunal de Contas da União.
Nomeado pelo presidente Artur Bernardes interventor federal no estado do Rio de Janeiro, em 10.01.1923, em decorrência da disputa política ocasionada pela duplicidade de presidentes e assembléias no estado. Permaneceu no cargo até 23.12.1923 e durante sua administração foi eleito o novo presidente do estado. Eleito em 1924 deputado federal pela Bahia, sendo escolhido líder de sua bancada. Membro da Comissão de Finanças e relator do orçamento da Fazenda.
Professor substituto de Direito Constitucional da Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais do Rio de Janeiro, nomeado em 1915. Professor desta mesma cadeira na Faculdade de Filosofia e Letras. Catedrático da Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, em 1923.
Membro do Instituto da Ordem dos Advogados Brasileiros, da Sociedade Brasileira de Direito Internacional e do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Diretor e redator da A Lide (Amargosa, Baia, 1899), quando era promotor público naquela comarca. Redator do O Regenerador (Nazaré, Baia, 1899-1900). No Rio de Janeiro, fundou a revista Brasil Economico e Financeiro. Redator-chefe do Diário de Notícias.
Em 1921 residia na Estrada Nova 416, bairro da Tijuca, Rio de Janeiro. Casado com Maria Amélia Bittencourt.
O seu Inspetor Geral de Ensino responsável pela pasta da Instrução Pública,no período de 1906 a 1906 foi Otaviano Moniz Barreto.
Autor: Fernando Paixão

 Fonte:D.O.E./Arquivo SEC/CMIC

VOLTAR    |